Tuesday, March 31, 2015

EXORCIZAR O PASSADO EM PARIS

Os franceses nunca ficaram de boa consciência com a história da colaboração com o ocupante   nazi entre Maio de 1940 e a libertação total do hexágono gaulês pelas tropas aliadas em Dezembro de 1944. Os britânicos parodiaram a resistência francesa na série televisiva da BBC "Allo, Allo", transmitida entre 1982 e 1992, um sorriso amarelo aflorou da coragem dos resistentes franceses durante a ocupação, que não apagou nunca da memória a vergonha colectiva  pela adesão e submissão da França ao regime hitleriano. 

Agora, 70 anos depois, os "Archives Nationales ( Hôtel de Soubise) estão expostos 300 documentos inéditos, testemunhos dos dias negros da França. 


Anteontem, Sarkozy, com uma carga de acusações em tribunal às costas, foi  ressuscitado pelos resultados obtidos nas eleições regionais, conquistando uma notável maioria de departamentos à custa da ameaça vislumbrada pelos resultados da extrema direita liderada por Marine Le Pen na primeira volta, no domingo anterior.

Obrigados a escolher entre Marine Le Pen e os fantasmas do passado, Sarkozy, suspeito de várias ilicitudes, e Hollande, comprovadamente inepto, os franceses deram a maioria dos votos ao ex-presidente por ausência de alternativas que não lhes invocassem a memória do passado. 

2 comments:

Antonio Cristovao said...

Conhecendo o ambiente em França é assustador o afastamento geral da população em relação ao desenvolvimento. O direito consuetedinario ainda é o que povoa a mente da maioria dos cidadãos.

Rui Fonseca said...


António,

Apesar de tudo a França ainda é a segunda maior economia europeia.
O que é espantoso é que,num país culturalmente muito avançado, a liderança esteja ser disputada por um candidato derrotado por um presidente que se mostrou incapaz de afirmar no contexto europeu o peso da França, e além destes, pela líder, em franca progressão, da extrema-direita.