Thursday, September 24, 2020

UM ESPIÃO NA CASA BRANCA

Anteontem, o Público publicou um artigo - Serviços secretos desconfiaram que Trump era um agente russo - quase integralmente traduzido do Washington Post publicado há três dias - The unanswered question of our time: Is Trump an agent of Russia?

Na edição de ontem o Público colocava em destaque na primeira página CIA diz que Putin está “provavelmente a dirigir” campanha para prejudicar Joe Biden. Também neste caso, o artigo do Público é tradução de Secret CIA assessment: Putin ‘probably directing’ influence operation to denigrate Biden publicado anteontem no Washington Post. 

As suspeitas de ligações perigosas entre Trump e Putin não apareceram recentemente; praticamente desde a tomada de posse, e mesmo durante a campanha eleitoral, foram insistente notícia os interesses privados de Trump na Rússia; a eleição de 2016 que deu a Trump a vitória sobre Hillary Clinton terá sido manobrada por interferências de hackers russos ao serviço de Putin para beneficiar Trump.

Mas até hoje, e Trump foi ilibado num processo de impeachment pelos republicanos no Senado em que a suspeita de espionagem não integrava a acusação, as suspeitas circulam a partir de informações dos serviços secretos e Trump passa incólume por cima de tudo.

 

                                                     Mural em Vilnius - Lituânia (2017)

Acrescente-se que o artigo do Público Serviços secretos desconfiaram que Trump era um agente russo não traduziu o último parágrafo do artigo publicado no Washington Post.Transcrevo-o a seguir:

"There’s a classic story about an American agent of influence that predates the Cold War — and might presage the strange case of Donald Trump, if these questions about his relationship with Russia go dormant. Samuel Dickstein was a member of Congress from Manhattan, elected in 1922, and chairman of the House Immigration and Naturalization Committee in the 1930s. He walked into the Soviet Embassy in 1937 and offered the ambassador his services for $25,000 a year — three times his congressional salary. In exchange, he sold fake passports to Soviet spies. And he held headline-grabbing public hearings investigating Joseph Stalin’s enemies in the United States. Dickstein served 11 terms in Congress. His file lay locked up in the KGB archives for 60 years. Today, if you go down to Manhattan’s Lower East Side, to the intersection of Pitt and Grand streets, you’ll be standing in Samuel Dickstein Plaza. He got away wit"


Por este andar, daqui a umas dezenas de anos, Trump celebrado numa estátua em Washington DC erigida à medida dos seus interesses privados, continuará arrogante a desafiar as suspeitas da sua eventual traição aos interesses dos EUA.


Monday, September 21, 2020

FÁTIMA

"O Presidente da República assume-se preocupado com a possibilidade de haver uma forte enchente de pessoas nas cerimónias do 13 de Outubro, em Fátima. Depois deste domingo passado se ter registado uma grande afluência ao santuário, Marcelo Rebelo de Sousa considera que, mesmo uma redução da capacidade do recinto para 50 mil peregrinos, poderá passar uma imagem negativa para a opinião pública, numa altura em que é preciso redobrar os esforços de contenção, nesta pandemia."- cf aqui

“Sabem que não sou insuspeito, sou católico e fatimista, onde tenho ido vezes sem conta”, explicou Marcelo Rebelo Sousa. “Mas não é disso que se trata. É da percepção da sociedade num momento em que há 400, 500, 600 ou ligeiramente mais casos por dia”, advertiu o PR. - cf aqui

No página online oficial do Santuário, hoje, 21/09, cerca de três semanas antes da Peregrinação Aniversária a 13 de Outubro, não há qualquer referência a restrições, cuidados ou alertas aos peregrinos, a esmagadora maioria dos quais já programou a ida ao Santuário e muitos já se estarão a deslocar a pé. Para além da Agenda das celebrações, não há, ou não vejo qualquer outra referência, salvo "Visite a nossa Loja Online".

Há dias, o presidente da Câmara de Ourém discordava da delegada de saúde do Médio Tejo que defendia, não sei se continua a defender, um 13 de Outubro igual ao 13 de Maio, sem peregrinos, sugerindo o presidente da Câmara uma medida intermédia, idêntica à tomada em 13 de Setembro, fechando o acesso ao Santuário quando o número de peregrinos excedeu o plano de contingência "que está implementado".

Da DGS não há notícias sobre o assunto. Provavelmente estarão em curso conversações entre as entidades responsáveis, mas os peregrinos não sabem e já meteram pés ao caminho ou estão a preparar-se para isso sem serem portadores de cartão de entrada garantida.

Ou sou eu que estou errado?

SE ISTO É VERDADE

"Substância química é usada em contexto médico em Portugal apesar de poder causar vómitos, febre e queimaduras de estômago, ( ) . Nenhuma entidade nacional diz ter autoridade para proibir este tratamento fraudulento ... Tem um nome simpático, “Miracle Mineral Solution”, mas é na verdade feito à base de dióxido de cloro, um composto químico usado, por exemplo, no tratamento das águas e no fabrico de lixívia. É vendido em Portugal, e quem o comercializa diz que é indicado para tratar o VIH, o autismo, ou, mais recentemente, a covid-19. Em Espanha, entre abril e junho, foram detectados 26 casos de intoxicação por MMS. "- cit aqui

Não pode proibir-se o que é permitido nem permitir-se o que é proibido" - sentenciou há algum tempo a senhora ministra da saúde. Como o Miracle Mineral Solution não é proibido, cada qual que se trate, ou se mate, da forma que lhe aprouver. 


Ouvi esta manhã na rádio, Antena 1, que (se ouvi bem) na Faculdade de Letras do Porto os estudantes, divididos em dois grupo, frequentarão alternadamente aulas presenciais e online. Nas aulas presenciais não é obrigatório o uso de máscara. 

Não há uma lei, ou directiva, qualquer que torna obrigatório o uso de máscara em espaços públicos fechados? Não estão os médicos a recomendar que se alargue essa obrigatoriedade aos espaços públicos exteriores em casos de densidade de presença humana que impossibilite o distanciamento social?

Não são os médicos quem na linha da frente suporta o embate das brechas abertas pelos que consideram que cada um cuide de si e que se tramem os outros? Os outros, e os médicos, enfermeiros e todos os que têm de os tentar salvar, arriscando a própria vida. Quem é tão estúpido que não compreenda que uma doença contagiosa só pode ser combatida se houver respeito pela vida dos outros? Pelos vistos, muitos; a estupidez humana é infinita, e catastrófica quando a sociedade não a trava.

Saturday, September 19, 2020

PIETÀ COM CRISTO NEGRO AO COLO

 

 

 Imagem divulgada pela Pontifícia Academia para a Vida no Twitter: um Cristo negro ao colo da "Pietà" de Miguel Ângelo - c/p aqui

--- Correl.

A "Pietá" que Miguel Ângelo quis destruir já está outra vez a ser restaurada 


"PIETÀ DE FLORENÇA

 ----

 

 

ESTE É O CRISTO ESQUECIDO DE MIGUEL ÂNGELO


Monday, September 14, 2020

SERÁ ANTÓNIO COSTA UM FANÁTICO?

Sucintamente, segundo a psicologia, fanatismo é um estado psicológico de fervor excessivo, irracional e persistente, tradicionalmente associado a motivações de natureza religiosa ou política, que, não raramente, se imbricaram e continuam a imbricar, provocando as guerras religiosa, as mais devastadoras da espécie humana.

Nas últimas décadas, o desporto, sobretudo no futebol, tem vindo a suscitar crescentemente estados de sobreposição do irracional sobre o racional susceptíveis de originar conflitos verbais ou físicos, não sendo alheio a esta evolução as cumplicidades geradas entre o desporto e a política; até agora, a conivência entre futebol e política não espoletou guerras entre nações mas não é imprevisível que a mistura potencialmente explosiva  não possa vir a ser detonada por razões de fanatismo futebolístico em ambiente de nacionalismos extremos. Admitamos que tal nunca irá acontecer.

O cidadão António Luís Santos da Costa, sócio do Benfica e primeiro-ministro de Portugal integra uma comissão de honra da recandidatura de Luís Filipe Vieira. Decidiu racionalmente e o cidadão António Costa tem objectivos inconfessáveis com a recondução de Luís Filipe Vieira na presidência do Benfica, ou, emocionalmente, deixou que a irracionalidade lhe obnubilasse o discernimento e desse o aval de primeiro-ministro a um indivíduo envolvido em diversos processos em mãos da Justiça? Sendo o cidadão António Costa uma pessoa de carácter impoluto, a primeira hipótese deve ser rejeitada; se a irracionalidade o traiu e tornou o primeiro-ministro apoiante de um indivíduo de carácter no mínimo maculado por suspeitas de ilegalidades, o cidadão António Costa mostrou debilidade fanática.

Wednesday, September 09, 2020

E VIVA O BENFICA!

O Jornal de Negócios online, publica aqui nada que não fosse já objecto de repetidas notícias sobre o escândalo : Luís Filipe Vieira provoca perdas de 225 milhões ao Novo Banco. O que faz do caso escandaloso novamente notícia é o facto ser referido no relatório da Delloite, por enquanto, só parcialmente conhecido - A auditoria da Deloitte mostra os prejuízos causados pelo grupo do presidente do Benfica durante pouco mais de quatro anos. No final de 2018, a dívida ao Novo Banco ascendia a 760 milhões de euros. Entre agosto de 2014 e dezembro de 2018, o Novo Banco teve perdas de 225,1 milhões de euros com o grupo económico de Luís Filipe Vieira, atual presidente do Benfica, que é um dos maiores devedores do antigo BES.".


De quem se ri este patife? De si, distraído tanso fiscal.

Obs. - O senhor Marques Mendes afirmava no domingo à noite no seu habitual espaço Sic que, segundo notícias que tinha recebido em primeira mão,  o governo não iá colocar um euro no OE do próximo ano para o Fundo de Resolução, que, deste modo terá de recorrer a outras fontes de financiamento. O que o comentador não disse foi que quaisquer que sejam essas fontes alternativas os juros dos empréstimos que assegurarem ao FR serão reflectidos no défice e os custos serão superiores aos empréstimos assegurados pelo Estado. Resultado: maior défice, maiores custos para os tansos fiscais.

--- Act. 11/09

Sem conseguir empréstimo de adeptos, Benfica usou 28 milhões do Novo Banco . Pandemia obrigou SAD do Benfica a acionar linha de crédito aberta pelo Novo Banco em 2017

No semestre em que arrancou a pandemia de covid-19, e em que tinha de reembolsar 48 milhões de euros aos detentores de obrigações, a SAD do Benfica teve de voltar a utilizar dinheiro da banca, de que se tem tentado afastar (e vice-versa). Com uma linha de crédito aberta em 2017, foi nos primeiros seis meses de 2020 que a sociedade presidida por Luís Filipe Vieira utilizou 28 milhões de euros emprestados pelo Novo Banco.

Entre janeiro e junho, em data não identificada, o Benfica obteve um empréstimo pedido ao Novo Banco de 28 milhões de euros, informação que consta do relatório e contas de julho de 2019 a junho de 2020, apresentado esta semana à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Esse dado não constava de relatórios anteriores. Na época anterior estava referido que a Benfica SAD tinha “contratualizada uma linha de financiamento junto do Novo Banco no montante máximo de 30 milhões de euros”, mas que não tinha sido utilizada até àquela data.

À Tribuna Expresso, fonte oficial do SLB esclarece que este é o “único contrato de financiamento bancário atualmente existente entre o Novo Banco e esta sociedade” e que “foi contratado em Junho de 2017, decorrendo o mesmo da reestruturação e liquidação de contratos anteriores celebrados desde o exercício de 2008-09”.  

COBRIR “NECESSIDADES DE TESOURARIA”

Questionado sobre qual o motivo para acionar uma linha que existe há três anos, o Benfica não especifica: “Esta linha de financiamento é utilizada em função das necessidades de tesouraria de curto prazo da Benfica SAD. Ao longo dos exercícios a sua utilização tem variado desde zero até ao limite máximo utilizável, dependendo das necessidades pontuais existentes”. 

utilização ocorre nos primeiros meses de 2020, quando o novo coronavírus chegou a Portugal e obrigou a parar o país, prejudicando a obtenção de receitas de várias empresas, como as SAD dos clubes de futebol. E isto num momento em que a sociedade tinha dinheiro a devolver aos seus adeptos.

Em janeiro, ainda não se imaginava o impacto da covid-19, e a Benfica SAD decidiu reembolsar antecipadamente obrigações vendidas em 2018 a investidores, sobretudo adeptos, no montante de 25 milhões de euros (passando a ter apenas de devolver 20 milhões no próximo ano, a data de vencimento). Só que, em abril, havia mais dinheiro para dar aos investidores que tinham emprestado em 2017 através da subscrição destes produtos financeiros: 48 milhões de euros. 

COVID MUDOU PLANOS

No relatório e contas, a SAD admite que a covid-19 mudou os planos. Aquando do reembolso do empréstimo obrigacionista ‘Benfica SAD 2017-2020’ em abril de 2020, a sociedade pretendia emitir um novo empréstimo com algumas características diferentes dos que tinha emitido no passado e sempre com o objetivo de diminuir a sua exposição do mercado. Contudo, os efeitos da pandemia associada à covid-19, que nos meses de março e abril de 2020 ‘paralisaram’ o país e a sua economia, não permitiram que a Benfica SAD prosseguisse com a sua estratégia de financiamento”, inscreve o documento. 

Mesmo assim, sem “a mínima possibilidade de emitir um novo empréstimo obrigacionista”, o Benfica conseguiu “cumprir com os seus compromissos perante os obrigacionistas que tinham confiado os seus investimentos na Benfica SAD, reembolsando-lhes os seus 48,4 milhões de euros”. À Tribuna Expresso, a fonte autorizada da SAD recusa que o dinheiro emprestado pelo Benfica tenha servido em parte para ajudar a saldar esta dívida: “autilização da linha apenas depende das necessidades pontuais de tesouraria de curto prazo”.

que é certo é que, neste contexto de pandemia, o Benfica teve de pedir dinheiro à banca, usando a tal linha de financiamento do banco detido pelos americanos da Lone Star, aumentando a exposição ao sector financeiro, que tem vindo a reduzir nos últimos anos (também porque muitos bancos quiseram – ou viram-se obrigados – a fechar a torneira ao futebol). O Benfica tem crédito da CGD e do Montepio, mas em montantes muito inferiores (1,2 e 5,9 milhões, respetivamente). 

Só em julho o Benfica conseguiu ultrapassar a situação de tesouraria e emitiu uma nova emissão de obrigações, obtendo 50 milhões emprestados pelos adeptos e investidores que subscreveram o produto financeiro. 

Benfica não revela nem a taxa de juro nem a data em que tem de devolver este dinheiro emprestado pelo Novo Banco – que foi acionista da SAD até 2017, quando vendeu a sua posição ao sócio de Luís Filipe Vieira, José António dos Santos, conhecido por rei dos frangos. Este dinheiro surge na rubrica de empréstimos obtidos correntes, que normalmente tem um prazo inferior a 12 meses. A mesma fonte oficial do Benfica diz que “não está previsto contrair qualquer novo financiamento bancário” para conseguir reembolsar o montante. 

OUTRAS  SAD COM DIFICULDADES

SAD liderada por Luís Filipe Vieira não foi a única a sofrer na tesouraria o impacto da covid-19. O FCP teve de adiar por um ano o reembolso de uma emissão de obrigações de 35 milhões de euros, sendo que fica com 70 milhões para devolver em 2021

No próximo ano, as três principais SAD ficam com 116 milhões para reembolsar no próximo ano: a do Benfica é de 20 milhões de euros, enquanto a Sporting SAD, que teve de recorrer ao lay-off simplificado (poupando 3 milhões de euros, praticamente o custo que teve de pagar pela rescisão do ex-treinador Mihajlovic), também tem outros 26 milhões por pagar.

Tudo isto num cenário de incerteza, em que a quebra de receitas é cenário central, sem adeptos nos estádios e sem proveitos de bilheteira. Na última temporada, a SAD do Benfica teve lucros de 42 milhões, enquanto a do Sporting conseguiu resultado líquido positivo de 12,5 milhões.

 

--- Act.  18/09/2020 - aqui

O ex-juiz do Tribunal da Relação de Lisboa, Rui Rangel, a figura central do caso de corrupção conhecido como Operação Lex foi acusado com mais de 16 pessoas no âmbito desta investigação, confirmou esta sexta-feira a Procuradoria-Geral da República. Também a mulher, Fátima Galante, igualmente ex-juíza da Relação, surge entre o rol de acusados, que inclui igualmente o antigo presidente da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves. O PÚBLICO sabe que também o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi acusado neste caso, sendo-lhe imputado o crime de recebimento indevido de vantagem.  

A acusação é da responsabilidade dos procuradores-gerais-adjuntos que são os titulares do caso, Maria José Morgado e Vítor Pinto, apoiados por duas magistradas do Departamento Central de Investigação e Acção Penal. Igualmente fundamental nesta investigação foi a Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária. 

No centro desta investigação estão as actividades ilícitas de Rui Rangel que terá montado um esquema para vender a sua influência em processos judiciais, com o apoio de vários advogados, umas vezes uma influência real outras vezes fictícia. O empresário José Veiga terá pago centenas de milhares de euros para Rui Rangel o ajudar em alguns processos judiciais, um dos quais um caso de fraude fiscal em que tinha sido condenado. 

Já o presidente do Benfica é suspeito de ter usado a alegada influência de Rangel para tentar resolver uma acção de uma sociedade do seu universo empresarial que estava pendente no Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra​. Em causa estava a impugnação de um adicional de 1,6 milhões de euros exigidos pelas Finanças, a título de mais-valias. Luís Filipe Vieira terá pago a ajuda de Rangel com bilhetes para a bancada presidencial na Luz, além de viagens e estadias para o então magistrado assistir a jogos do Benfica no estrangeiro. 

Fátima Galante, que está separada há mais de uma década de Rangel, é suspeita de ter escrito acórdãos assinados pelo marido e de ter escondido verbas que saberia terem origem ilícita em contas que mantinha com aquele.

O caso foi conhecido a 30 de Janeiro de 2018, quando foram detidos cinco arguidos do processo, incluindo o advogado Santos Martins (que funcionava como um testa-de-ferro de Rangel), o filho deste, o advogado Jorge Barroso, um oficial de justiça da Relação de Lisboa e uma ex-companheira de Rangel. Nos dias seguintes a PGR confirmou que o caso tinha na altura 13 arguidos, incluindo Luís Filipe Vieira e o seu vice-presidente Fernando Tavares. Do rol de suspeitos fazem ainda parte o antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol João Rodrigues, e outra companheira de Rangel, além do pai da ex-namorada que foi detida. Ao longo da investigação, foram constituídos mais cinco arguidos, num total de 18 pessoas, entre eles o ex-presidente da Relação, Vaz das Neves e o empresário José Veiga.

Operação Lex nasceu de uma outra investigação, que ficou conhecida como Rota do Atlântico e que tem como figura central o empresário José Veiga, sobretudo conhecido pelas suas ligações ao futebol, nomeadamente, na intermediação de jogadores. No âmbito deste último inquérito, que ainda está em investigação, foram realizadas buscas no escritório do advogado Santos Martins, amigo de longa data de Rangel, que recebera através do seu único filho avultados montantes de José Veiga. Nas buscas foram encontrados vários documentos que comprometiam Rui Rangel, nomeadamente vários talões de depósitos bancários feitos na conta do magistrado e trocas de e-mails suspeitas.



Saturday, September 05, 2020

O JOGO DA CABRA CEGA


 Afirma Rui Pinto aqui
 
1. Procurei na contestação apresentada pelos meus advogados transmitir a este tribunal tudo o que me parecia relevante para a descoberta da verdade em resposta à acusação de que sou objecto.
2. Estou aqui neste tribunal numa estranha situação: por um lado, como arguido e, por outro, como testemunha protegida integrada num programa do Estado português.
3. Como sempre disse, não me considero um hacker. Sou um denunciante ou whistleblower porque tornei pública, em total boa-fé, muita informação de manifesto interesse público nacional e internacional que, de outra forma, nunca seria conhecida. 
4. Fiquei surpreendido e indignado com aquilo que descobri e que entendi que devia revelar. Inicialmente através do site Football Leaks, mas também através da colaboração com órgãos de comunicação social a nível mundial.
5. O meu próprio trabalho de análise documental e auxílio directo aos jornalistas é, na minha opinião, um trabalho que contribuiu para reforçar a liberdade de expressão.
6. Colaborei também com várias autoridades estrangeiras, e encontro-me a colaborar activamente com as autoridades portuguesas, que me encorajam nesta colaboração, e espero continuar a fazê-lo no futuro.
7. As revelações de graves irregularidade e crimes são para mim motivo de orgulho e não de vergonha. Vejo hoje que há importantes inquéritos criminais que foram iniciados graças a essas revelações e confio que serão muitos mais. 
8. Constato que, nos últimos anos, os direitos nacionais, o direito europeu e o direito internacional reconhecem, cada vez mais, a importância da contribuição dos whistleblowers na descoberta de várias actividades ilícitas profundamente prejudiciais para os cidadãos e para os próprios Estados. E por, por essa razão, os whistleblowers são cada vez mais protegidos em todo o mundo. 
9. Fui objecto de uma campanha de calúnia, difamação e ameaça com o intuito de afastar a atenção da opinião público e do sistema judiciário das actividades criminais que revelei e que persistem. Mas não me queixo. 
10. Estive quase um ano e meio preso, com sete meses de isolamento total, o que foi um período difícil, mas, também, um período de grande reflexão. O meu trabalho como whistleblower está terminado. 
11. Neste momento, pretendo tão somente reafirmar que nada do que fiz foi por dinheiro e que nunca recebei qualquer verba pelas informações que revelei.
12. A conselho dos meus advogados, limito-me, para já, a fazer esta declaração, reservando-me o direito de prestar declarações posteriormente.

Friday, September 04, 2020

A CHINA E O RESTO DO MUNDO, SEGUNDO AI WEIWEI



 Vocês já estão profundamente infectados

Ai Weiwei é um artista chinês contestatário da ditadura que governa o país. Comentei aqui, comentário breve, a sua obra e a sua personalidade inconformada com a repressão a que estão sujeitos aqueles que se recusam a alinhar pela ideologia comunista-capitalista que, deve reconhecer-se, tem alcançado sucessos económicos e científicos notáveis nas últimas décadas, desde 1978, quando Deng Xiaoping deu a volta ao sistema comunista socialista, tipo soviético, e instalou o sistema que designou  de economia de mercado socialista.

A entrevista concedida por Ai Weiwei ao Público, merece leitura e reflexão, apesar de notoriamente marcada pelo sentimento de revolta que o anima há muito. A sua afirmação mais incisiva -  Vocês já estão profundamente infectados - não pode ser assumida como um alerta de desespero ou despeito de um rebelde porque confirma o objectivo publicamente declarado de Xi Jinping.

Vd. entre outros comentários colocados neste bloco de notas sobre o assunto : OS INIMIGOS DO COMUNISMO CHINÊS