Monday, May 22, 2017

QUEM VÊ CARAS

O Novo Banco registou 130,9 milhões de euros de prejuízos nos primeiros três meses do ano.
Porquê?
Vem quase tudo explicado aqui.
O que não vem explicado é quem paga mais esta conta, mais as próximas até que esteja completamente fechada a venda ao "Lone Star Funds"
O sr. António Ramalho, a julgar pelo boneco que acompanha a notícia, não parece preocupado com mais esta ninharia.



Na Caixa os prejuízos no primeiro trimestre, explicados pelos custos de reestruturação, segundo a administração do sr. Paulo Macedo, foram de 38,6 milhões, um pouco mais de metade dos prejuízos observados no período homólogo do ano passado. 
Acabaram-se os grandes calotes? Já estão todos imparidados?
O sr. Horta Osório considerava na entrevista ao DN e à TSF, referida aqui, que "quanto ao caso CGD houve erros graves e seria lamentável se não houvesse resultados da investigação sobre quem emprestou dinheiro a quem".
O sr. Horta Osório é um eufemista.
Quem é que já não sabe quem emprestou a quem na CGD os créditos mirabolantes que só não levaram a Caixa à falência porque o lombo dos contribuintes aguenta toda a carga de moscambilhas que os banqueiros e caixeiros engendraram e, provavelmente, alguns continuarão a engendrar?
Quanto a grandes calotes e grandessíssimos caloteiros, os da Caixa estarão, talvez preocupados, mas ainda assim fechados em copas.



Sunday, May 21, 2017

É PRECISO PREPARAR UM PLANO DE REDUÇÃO DA DÍVIDA

"É preciso preparar um plano de redução da dívida em relação ao produto para aumentar o grau de fortaleza e resistência da economia. Gostava de ver esse plano, era muito importante que existisse"

A afirmação é do sr. Horta Osório em entrevista do DN e TSF publicada aqui, e vale a pena uma leitura atenta, não apenas porque o entrevistado é um banqueiro de mérito internacionalmente reconhecido mas porque conhece bem a realidade portuguesa e a discussão acerca da redução da dívida pública um tema que ultrapassa agora claramente a quase não discussão acerca do nível do défice. 
Mas é possível reduzir a dívida (ou estabilizar o seu valor nominal com propõe Olivier Blanchard em entrevista do Expresso) sem continuar a aumentar o saldo primário para reduzir o défice? Como?

É preciso preparar um plano de redução da dívida. Gostaria de ver esse plano, diz ele. 
E digo eu.
O que ele não diz é como se pode reduzir a dívida. 
E o entrevistador também não perguntou. É uma pecha de alguns jornalistas esquecerem-se das questões mais importantes. 

Toda a gente tem uma receita, a mais comum, aumente-se o investimento para fazer crescer a economia.
Como?

Pois é: o diabo está nos como

Saturday, May 20, 2017

O AMIGO DAS ARÁBIAS

Soube-se hoje que Mr. Trump vendeu aos sauditas 110 mil milhões dólares de armas no primeiro dia da sua primeira saída dos EUA desde que tomou posse, um sucesso que lhe permitirá desacelerar o movimento interno que ameaça a sua destituição. Resta ver que negócios será ele capaz de engendrar junto de israelitas e palestinianos para acabar, promessa dele, com o conflito entre palestinianos e israelitas que dura desde  a fundação do Estado de Israel, há quase 70 anos. 

Para Mr. Trump, vender armas é fácil, aliás já estariam vendidas, Mr. Trump limitou-se a oficializar o negócio, mesmo que essas armas sejam vendidas a quem, segundo o próprio Trump, suporta os fanáticos do Isis, que ele, o mesmo Mr. Trump, se propõe eliminar. 

Tão terrivelmente fácil quanto terrivelmente sujo. 


Friday, May 19, 2017

DEMAGOGIA A METRO QUADRADO

Continua a habitual plantação de outdoors.
A freguesia de Avenidas Novas, pelos vistos bem abonada demais, depois de uma campanha massiva de cartazes XL a comprar votos nas próximas eleições com o embuste do "orçamento participativo", plantou  nova emissão de outtdoors, desta vez a encostar-se às obras da Câmara e a informar que corta os relvados. Em próximos cartazes informará, provavelmente, que também regista caninos.




O primeiro outdoor está colocado atrás do segundo. Em frente deste, a uns trinta metros, isto:


clicar para ver melhor

Tuesday, May 16, 2017

A COR DA INTELIGÊNCIA

De que cor é a inteligência?
Há ainda muita gente, gente demais, fanaticamente convicta da supremacia branca, ainda que não faltem exemplos flagrantes a demonstrar que a competência, a capacidade, a inteligência, são atributos a que a natureza nunca deu cor.  
E, no entanto, a vida de muita gente foi, e continua a ser em larga escala, sofrida pela cor da pele. 
Estreia-se hoje em Portugal um filme que é uma denúncia desse sofrimento, passado e presente, imposto aos afro-americanos: I Am Not Your Negro


Há dias, o Washington Post publicava aqui notícia de mais um caso susceptível de engasgar racistas brancos (o racismo também não tem cor) : Carson Huey-You obteve o seu diploma em Física pela Texas Christian University no dia 13 deste mês de Maio. Tem 14 anos, e é o mais novo diplomado de sempre na história da TCU. Agora quer obter o doutoramento. O seu irmão Cannan, de 11 anos, prepara-se para entrar na Universidade na próxima época e graduar-se em engenharia e astrofísica . 


MUDAR DE MÃOS

No mercado da arte, o valor acrescentado mede-se, sobretudo, pelas comissões cobradas pelas galerias e agências. O valor recebido por quem vende não tem expressão económica real - troca sem produção de riqueza - mas as mais-valias obtidas pelo vendedor são estatisticamente relevantes. 


La Muse Endormie 
Constantin Brancusi
(clicar para aumentar)

La Muse Endormie de Constantin Brancusi mudou ontem de mãos num leilão da Christie´s, que atingiu um volume de transacções, 289 milhões de dólares, não conseguido desde 2010.
O valor da obra do escultor romeno, foi transaccionado por 51 milhões de dólares, o que, adicionadas as comissões da Christie´s, colocou em 57,4 milhões de dólares o preço pago pelo comprador. 


Femme assise, robe bleue
Picasso

Femme assise, robe bleue, de Picasso, foi transaccionado por 45 milhões de dólares, comissões incluídas.


Monday, May 15, 2017

RUA DA VERGONHA


No Cinema Nimas, uma reflexão sobre a proibição ou a legalização da prostituição em Tóquio no pós-guerra.

"A vida de cinco prostitutas que trabalham num bordel na famosa e histórica zona de prostituição de Tóquio, Yoshiwara, e a forma como os seus sonhos e ambições são constantemente destruídos pela realidade social e económica que as rodeia". Texto: Cinemateca Portuguesa

****

TRUMP DEVE SER DEMITIDO

"Trump deve ser impedido de continuar a presidir"- Trump must be impeached -, é a opinião de um professor de Direito em Harvard, juntando-se ao grupo crescente dos que, de um modo ou de outro, consideram que o magnata já atravessou, e continua atravessar, os limites da complacentes da tolerância democrática. 

Paradoxalmente, o maior obstáculo à demissão compulsiva de Trump pode ser a continuada provocação do ditador em Pyongyang, que, soube-se ontem, ordenou o lançamento ensaio de um mais um míssil, desta vez mais potente, mais alto e mais longo, que os anteriores. Normalmente, em situações de ameaça externa ou intuída como tal, os povos tendem a reunir-se no apoio aos seus dirigentes, independentemente das divergências internas, e os norte-americanos não fogem à regra. George W. Bush conseguiu a reeleição porque os EUA se encontravam envolvidos na guerra contra o Iraque, que o próprio George W. Bush tinha ordenado ou consentido. 

Ora as ousadias provocatórias de Kim Jon-un, ou da sua quadrilha, nestas situações nunca se sabe quem é que realmente decide, concedem a Trump a vantagem da coesão do grupo perante a ameaça externa. O Conselho de Segurança da ONU foi convocado para reuniões amanhã e depois de amanhã, e, segundo as notícias, há sobre a questão divergências no partido chinês, Putin parece preocupado, mas parece que não será ainda desta vez que no Conselho de Segurança se alcança um consenso sobre as medidas que possam vergar as ameaças dos norte-americanas.


---
Correl. -