Wednesday, July 23, 2014

SANTANA EM BELÉM

O senhor Santana Lopes foi entrevistado pelo Expresso e, a linhas tantas, afirma que "embora presunção e água benta cada um toma a que quer, acha que se tivesse continuado primeiro-ministro o país teria poupado tempo e dinheiro ... não teríamos navegado nesta lógica de fazer agora e pagar depois". Sente as pessoas na rua muito próximas dele e falam-lhe mais do que ele está a fazer na Santa Casa e às vezes de Lisboa ou da Figueira. Do passado como primeiro ministro ... não gosta dessa conversa.

O mais-que-certo candidato à presidência da República deixou obra feita na Figueira e Lisboa - não há autarca que não obre com cimento, que é a coisa mais fácil de fazer - mas esqueceu-se de pagar a fornecedores. Na Figueira deixou a Câmara mais endividada que nunca, Lisboa desatascou-se no primeiro mandato do senhor António Costa à custa da manobra da venda do Estado ao Estado dos terrenos do aeroporto. Agora, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, um cargo que dá graças a Deus por lhe ter dado tal oportunidade, rodeado de receitas por todos os lados, está nas suas sete quintas.

Relativamento aos outros putativos candidatos a Belém, o entrevistado considera que Gueterres é batível porque um dia disse, vou-me embora que vem aí o pântano, que o eleitorado português ainda não recebeu Barroso de volta, que Marcelo tem feito de depender a candidatura do apoio dos partidos, logo não vai candidatar-se porque ele, Santana, vai estar na corrida, Rio tem mais perfil para contas. Quem é que pode dizer o contrário?

Linearidade e lábia não lhe faltam. Por agora, percebe-se que o menino guerreiro  já vai a caminho de Belém, com experiência e perfil de provedor para a misericórdia que precisa este país.

3 comments:

Antonio Cristovao said...

vamos a ver se os desavisados cidadãos caiem em mais esta esparrela do "pintor" Santana . As vezes assiste-se aos media a malharem em quimeras inuteis mas este especialista em marketing politico passa entre os pingos mediaticos seco que nem um carapau.

Rui Fonseca said...

É essa também a ideia que faço dele e dos que vão na cantiga do bandido.

aix said...

...será que na campanha vai repetir o cartaz da candidatura à Câmara de Lisboa - parecenças com o Marquês de Pombal?...de facto, como diz acima o António, marketing político não falta a este farsola banha da cobra...