Monday, September 01, 2014

QUANTO MAIS MILHÕES MAIS GOLOS

O mau comportamento do Manchester United na Premier League inglesa está a colocar muitas interrogações sobre a caracterização do futebol quando, crescentemente, se tem vindo a observar a metamorfose de um espectáculo que se diz desportivo num negócio, certamente altamente lucrativo para os investidores, pois só assim se justifica o crescimento exponencial dos valores envolvidos nas transacções de jogadores, onde normalmente ganha quem avança com mais poder financeiro. Dito de outro modo, a natureza desportiva do futebol profissional está a ser subvertida pelo poder dos meios financeiros em jogo. Ao Manchester United, um clube com uma história recheada de sucessos, faltaram meios suficientes para ir ao mercado fazer compras para se confrontar com o Chelsea ou o Manchester City. Dos grandes da League, nos últimos anos, só o Arsenal ficou atrás do Manchester United. E este ano começou mal logo na época em que deixou de contar com o lendário Alex Fergusson no comando técnico do clube.

Assim não vale, dizem os comentadores do negócio. O futebol é um espectáculo desportivo, não é uma indústria onde o peso financeiro é determinante para a conquista do mercado, argumentam os fans do United, mas argumentam mal. Se a família proprietária do clube desde 2005 não pode ou não quer envolver-se financeiramente em medida equivalente ao peso histórico do clube (mais propriamente dito, da empresa) ou vende o United ou o United vai à glória. Entretanto, os adeptos não podem fazer outra coisa senão roer as unhas à espera que apareça um bilionário como deve ser e faça compras superiores aos seus concorrentes.

Por cá noticiaram os media há dias que o Novo Banco ia exigir ao Benfica o pagamento do que lhe deve. Acho bem. Mas acharia melhor, a bem da propalada verdade desportiva e dos bolsos dos contribuintes que houvesse regras do Banco de Portugal que não consentissem a concessão de crédito bancário a empresas desportivas. E cada qual que se amanhasse com as receitas que conseguisse obter com as suas actividades! Porque para lá disto, não há desporto, há jogo financeiro à volta de um espectáculo, por sinal bonito de se ver.

---
Correl. - (2/9) -
Fatia de leão do Manchester United num Verão de recordes em Inglaterra
Não é de descartar a hipótese dos Glazer se terem enchido de brios ao ler o meu apontamento de ontem ...

1 comment:

Antonio Cristovao said...

Até me doem os dentes de tanto ranger quando sei dos dinheiros publicos que são gastos com os clubes profissionais a conta de "beneficios" feitos a comunidade. Como os gastos com a "orientação" das claques sempre que há derbis com a policia paga por nos todos.Ou com os milhoes nos estadios as moscas