Wednesday, January 06, 2016

MASTURBAÇÕES PARLAMENTARES

O Banif poderá ter duas comissões de inquérito. No Parlamento, PS, BE e PCP preparam proposta conjunta de criação de uma comissão de inquérito. Na assembleia legislativa da Madeira, o PS da região propõe ainda esta semana a criação de outra comissão sobre o banco. - aqui  

Para quê?, se de nenhuma das comissões parlamentares de inquérito anteriormente convocadas para autópsia dos restos bancários observados resultou mais que o tresandar da característica nauseabunda mistura de odores a corrupção, lavagem de dinheiros, off-shoring, conivências políticas, ganância, roubo descarado, entre outros? 

Que proveito retirou a dignidade da República da excelente e muito aplaudida exibição do sr. Nuno de Melo na comissão de inquérito parlamentar ao mostrengo que se deu pelo nome de BPN? Onde dorme o molho de processos abertos pelo Ministério Público há sete anos atrás, traduzido numa rapina de sete mil milhões de euros aos tansos fiscais? Alguém foi preso ou condenado a regurgitar o que abocanhou? Dizem as notícias que no BPN mais de 500 grandes clientes com dívidas superiores a meio milhão de euros deixaram de pagar ... p. e., as empresas de Luís Filipe Vieira,  o muito aplaudido presidente do Benfica,  deixaram dívidas de 17 milhões no BPN ... e 600 milhões  ao BES, Sete anos depois não é mais que tempo para a AR concluir que, sendo os inquéritos parlamentares inconsequentes, deveria votar leis que impedissem o adormecimento implicitamente conivente dos agentes da administração da justiça? 

No inquérito parlamentar ao caso BES brilhou a srª. Mariana Mortágua, e os bloquistas passaram a perna aos comunistas nas legislativas. Mas já foi alguém julgado? Mortágua só conseguiu que o sr. Bava mostrasse muita indignidade e nenhuma vergonha para fugir às perguntas da deputada. Desta vez, no fim do longo inquérito, congratulou-se toda a comissão com a quase unanimidade das conclusões. Mas não há, sequer, acusados. O principal protagonista, presumidamente inocente, esteve sob prisão domiciliária, o grupo destroçou-se, alguns dos comparsas acusaram-se mutuamente, nenhum está a prestar contas à justiça.

Saltam agora para os hemiciclos em São Bento e na antiga Alfândega do Funchal dois inquéritos em simultâneo sobre os mesmos destroços banqueiros. O que sendo uma originalidade - as conclusões estão antecipadamente garantidas em Lisboa pelos votos da maioria de esquerda - será ainda assim inconsequente, qualquer que seja o voto de PSD e CDS no Funchal. 

Inconsequente, entenda-se, para os interesses da República. Com estes inquéritos regalam-se, e só eles, os senhores deputados.


1 comment:

Antonio Cristovao said...

Já era hora dos políticos terem vergonha na cara; ou então a cambada de eleitores que preferem voltar a ser enganados pelos mesmos que mudar de voto